Médico alerta que pacientes com Covid-19 de Cabedelo estão sendo mal orientados a ficar em casa ao invés de procurar tratamento precoce

O médico paraibano Roberto Lacerda, alergologista, fez um alerta sobre o tratamento correto para pacientes que estão no estágio inicial dos sintomas da Covid-10. Segundo ele,  pessoas com tosse, dor no peito e febre que procuram atendimento médico em cidades da Grande João Pessoa, estão sendo orientados a ficar em casa, o que pode prejudicar a recuperação e levar ao agravamento da doença, podendo provocar a morte. “Não fiquem em casa apenas tomando remédios para febre”, pediu.

Lacerda alertou que o uso de medicamentos recomendados pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) nos três primeiros dias de surgimento dos sintomas da Covid-19 é vital para salvar a vida desses pacientes. Em vídeo divulgado nas redes sociais, ele faz um apelo. ‘O tratamento precoce nos primeiros dias, os sintomas, quando tratado precocemente com medicamentos, ocorre uma melhora significativa desses pacientes, evitando que esses pacientes evoluem para a insuficiência aguda grave”, diz.

Preocupado com as informações que têm recebido sobre o atendimento dispensando a esses pacientes, o médico alerta para o ‘erro gravíssimo’ no protocolo adotado em unidades de saúde na Paraíba. “Se você tem um amigo, familiar, amigo, vizinho, parente, divulgue que o tratamento precoce de Covid-19, salva vidas. Tem que tratar com os tratamentos recomendados pelo Conselho Federal de Medicina. Vamos tratar isso, vamos salvar vidas”, finalizou.

Nesta quarta-feira (27), a Paraíba confirmou 1.290 novos casos de Covid-19 e 12 óbitos em 24 horas, conforme novo boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta quarta-feira (27).  Trata-se de mais um recorde na contagem diária. Com isso, o número de óbitos sobe para 298 e o de casos confirmados chega a 10.209. Também são registrados 2.232 pacientes recuperados da doença.

Ouça ao vídeo:

Soltando O Verbo com Polêmica Paraiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *