Funcionários do Hospital Pe. Alfredo Barbosa desmentem secretário e confirmam denúncia de risco de contaminação pelo Covid-19

A pandemia do Coronavírus trouxe à tona um grave problema na rede de saúde de vários municípios, e em Cabedelo, cidade da Região Metropolitana de João Pessoa não seria diferente: a falta de materiais conhecidos como EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), formados por máscaras, luvas, gorros, óculos de proteção e capote impermeável, sem falar em álcool gel. Sem eles, o profissional corre risco de ser infectado e também de transmitir o vírus aos demais pacientes e familiares.

Recentemente, circula nas redes sociais um vídeo contendo uma grave denúncia feita pela presidente do diretório municipal do MDB, Morgana Macena.

De acordo com a denúncia, o atendimento no Hospital Padre Alfredo Barbosa apresenta alto risco de contaminação do Covid-19, quer para os pacientes, quer para os profissionais de saúde que ali trabalham. Morgana Macena denunciou ainda que a prefeitura não está fornecendo aos profissionais de saúde a máscara modelo N-95, indicada para o atendimento a pessoas com suspeita de contágio do Covid-19, deixando os profissionais vulneráveis ao Coronavírus.

Morgana Macena: “Profissionais e pacientes correm risco de contaminação pelo Covid-19”

A máscara N-19 (foto) foi desenvolvida para impedir a passagem de bactérias, partículas e vapores tóxicos e, dessa forma, proteger as pessoas que tem contato com portadores de doenças e os profissionais da área da Saúde durante procedimentos médicos, cirúrgicos, odontológicos e laboratoriais de análises clínicas/patológicas ou em outras situações em que haja a emissão de partículas ou vapores nocivos envolvendo profissionais da saúde. Possui filtro eficiente para retenção de contaminantes presentes na atmosfera sob a forma de aerossóis, tais como bacilo da tuberculose (mycobacterium tuberculosis).


Máscara modelo N-95, indicada para o atendimento a pessoas com suspeita de contágio do Covid-19

Ainda segundo a denúncia, os pacientes com suspeita de estarem com o Coronavírus ficam no mesmo ambiente onde as gestantes são atendidas, circulam pela recepção juntamente com as demais pessoas que ali buscam atendimento médico e o pior, o setor onde os pacientes com suspeitas de Covid-19 ficam, é exatamente ao lado do setor de Raio-X.

Diante de tão grave denúncia, a reportagem do Soltando O Verbo procurou alguns profissionais de saúde do hospital Pe. Alfredo Barbosa que confirmaram, em parte, a veracidade das denúncias.

“Aqui nunca tivemos materiais suficientes, mas agora com essa pandemia, estamos todos apreensivos”, disse uma Técnica de Enfermagem que não quis revelar sua identidade por temer represálias. Os EPIs não chegam de forma suficientes, temos que nos virar com o que temos. O hospital não está preparado para receber pacientes com suspeita de contágio do Covid-19. O risco de contágio é real e iminente”, relatou uma médica, que pediu sigilo na identificação.

Entramos em contato com o secretário da saúde do município, Murilo Suassuna. A princípio, Suassuna não quis comentar sobre o assunto, mas depois resolveu se limitar a dizer que “Estamos seguindo as recomendações da ANVISA e do Ministério da Saúde”. O secretário não quis responder sobre as denúncias feitas, apenas se limitou a nega-las.

Diante de tão graves denúncias, o secretário não deu respostas à sociedade, limitando-se apenas acusar a denúncia de embate político. “Não vou entrar nesse embate político, estou dando o meu melhor pra passarmos por esse processo da melhor forma”, disse o secretário. “Não faço política, faço gestão”, concluiu.

O que diz o COREN

O Conselho Regional de Enfermagem da Paraíba (Coren PB) visitou neste sábado (28) o Hospital Municipal e Maternidade Padre Alfredo Barbosa (HMMPAB) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, em Cabedelo/PB.

Para o COREN, está tudo certo

Segundo a conselheira, Cátia Jussara de Oliveira, durante a visita foi constatado que tanto profissionais de Enfermagem do HMMPAB quanto do SAMU estavam com os EPIs necessários para a atuação dos mesmos.

Realidade parece ser outra

Quando já estávamos saindo, um funcionário nos abordou e fez novas denúncias. Segundo ele, o hospital Pe. Alfredo Barbosa precisa ser fiscalizado urgentemente. “Aqui estamos todos correndo risco de contaminação. Trabalhamos aqui com medo, mas ninguém fala nada porque o prefeito é perseguidor, que falar é perseguido. Tem muitas coisas acontecendo aqui, mas tenho medo de falar”. Repassamos os contatos do COREN e do CRM para o funcionário protocolar as denúncias, já que, segundo ele, “a Ouvidoria do município não e confiável porque lá trabalham pessoas que foram colocadas pelo próprio prefeito e não iriam contraria-lo”, desabafou.

Soltando o Verbo

Imagem da Internet

7 thoughts on “Funcionários do Hospital Pe. Alfredo Barbosa desmentem secretário e confirmam denúncia de risco de contaminação pelo Covid-19

  1. Misericórdia, meu Deus! Até que ponto chegou a nossa cidade! E o Hospital Geral que no passado atendia tanta gente desta e de outras cidades, tanto dinheiro nele já investido e em um momento como este nada se faz e o mesmo continua fechado com tamanho descaso aos pacientes e a pandemia COVID 19 que já está fazendo vítimas em Cabedelo/PB.

  2. Morgana Macena, só podia ser! Até em momentos de pura fragilidade da população ela quer se aproveitar politicamente. Lamentável! Cabedelo nao precisa de você. É triste esse postura.

    1. Ora Hitler o problema da denúncia foi porque eu fiz? Então vá você no hospital, olhe a situação dos profissionais e o atendimento do nosso povo! Mas mentira não é.

  3. Essa pseudo Gestão passa longe do que vem a ser responsabilidade, ética e moral. Enquanto Cabedelo está na lama, o gestor maior está na cana! É uma lástima, mas é a pura verdade!

  4. Absurdo! Essa falta de responsabilidade com a saúde pública, reflete a falta de competência dessa administração power point.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *