Obras da BR-230 em Cabedelo permanecem paradas provocando acidentes e mortes

As obras permanecem paradas e governo alega falta de recursos

Governo Federal cancelou, em junho de 2018, todos os Restos a Pagar (RAP) referentes a 2016 e anos anteriores. DNIT diz que busca soluções

As obras de ampliação da BR-230, no trecho entre o Viaduto de Oitizeiro, em João Pessoa, e o município de Cabedelo, na região metropolitana, estão paradas. O motivo, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), é a falta de recursos.

Em nota recentemente divulgada, o DNIT informou que o Governo Federal cancelou, em junho de 2018, todos os Restos a Pagar (RAP) referentes a 2016 e anos anteriores. Os valores para a conclusão da obra na Grande João Pessoa eram previstos justamente no RAP 2016.

Além disso, conforme o DNIT, os recursos da Lei Orçamentária Anual (LOA) são insuficientes para a continuidade do serviço. A autarquia não informou o valor exato da pendência e disse que estuda alternativas para solucionar o problema.

O Soltando O Verbo já havia divulgado a paralisação e os perigos da má sinalização no trecho desde 2018, quando um motociclista havia sido vítima de um acidente fatal no local. na ocasião, a primeira parte daampliação da rodovia havia alcançado menos que 25% e a conclusão do trecho que vai do km 1.8 ao km 11.5 era prevista para fevereiro deste ano, mesmo que as empresas contratadas já cogitassem o risco de paralisação nas obras.

Na época, o superintendente da Unidade Local do Dnit, Rainer Branco calculou que seriam necessários ao menos 24 meses para o projeto ser finalizado. “Vamos precisar de mais uns dois anos. Esse prazo, que parece ser extenso, se deve a uma problemática maior que a gente enfrenta, que é compatibilizar a obra com a rodovia operando. Isso causa uma demora ou essa programação de serviços mais prolongada”, informou.Xx

Obra má sinalizada

Enquanto as obras permanecem paralisadas, vidas veem sendo afetadas pelas péssima sinalização no trecho em obras, principalmente nas imediações dos viadutos de Intermares, Poço e principalmente de Camboinha, onde parte da rodovia se torna praticamente de mão única.

Balanço dos acidentes

O Soltando O Verbo fez um rápido levantamento e constatou inúmeros acidentes ocorridos no decorrer das obras.

No dia 04 de dezembro de 2017, um motociclista morreu na madrugada após perder o controle do veículo e bater em uma placa mal posicionada. Segundo informações repassadas pela Polícia Civil, o homem de 36 anos foi encontrado morto próximo à entrada da praia do Poço, no sentido de Cabedelo para João Pessoa.

No dia 18 de dezembro, um homem morreu após um acidente envolvendo uma moto e um carro, na BR-230. A vítima identificada como Eduardo de Oliveira tinha 39 anos e pilotava a moto no momento da colisão.

No dia 25 de dezembro de 2018, ocorreu um acidente deixando um carro preso na estrutura de uma obra na BR-230, em Cabedelo, na Grande João Pessoa. O motorista do veículo só conseguiu sair do carro com a ajuda do Corpo de Bombeiros.

Créditos da foto: G1PB

No final de 2019, em um intervalo de tempo inferior a dois meses, duas mortes ocorreram no trecho da BR 230, nas imediações de onde está sendo construído um viaduto. Segundo pessoas ouvidas pela reportagem, nos dois casos, a péssima sinalização teria supostamente sido responsável por ter provocado os acidentes. Em um deles, um motoqueiro que entregava botijões de gás de cozinha, foi atingido de frente por um carro que havia se confundido com a sinalização da rodovia. Pouco mais de um mês, um novo acidente fatal ocorreu com causas semelhantes.

Do Soltando O Verbo com imagens do G1 e
Walla Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *