Eleitores denunciam tumulto e desorganização nas eleições para conselheiros tutelares de Cabedelo neste domingo (6).

Ao contrário do que se imaginava, um enorme número de cabedelenses compareceram para votar nos candidatos a Conselheiro Tutelar neste domingo, 06.

Mas a surpresa não foi só esta. Os eleitores foram surpreendidos e denunciaram falta de estrutura e desorganização por parte do órgão responsável pelas eleições.

Dentre as reclamações feitas pelos eleitores estão as grandes filas, a falta de estrutura e um número mínimo de locais de votação, o que fez muitas pessoas, em alguns casos, terem que se deslocar uma grade distância. ” Teve pessoas que não foi votar por ter que se deslocar para outro bairro, longe de onde mora”, disse Daniel Pereira.

O único local de votação era na escola Imaculada Conceição, em Camalaú para atender os eleitores do Centro da cidade até o Jardim Manguinhos, prejudicando quem mora nos bairros de Santa Catarina, Miramar, Centro e Jardim Manguinhos.

Outra reclamação recorrente foi a demora na fila esperando para votar. “Uma tremenda desorganização. Muito descaso e falta de respeito para com o eleitor”, disse Ambrósio Muniz. “Eu tenho mais de oitenta anos, cheguei cedo para votar e não me deram prioridade e ainda quiseram me impedir de votar alegando que eu estava apenas com minha cédula de identidade, ora, queriam que eu levasse o que? Minha certidão de batismo? Desabafou Muniz.

Já para a idosa Severina Lima, não houve respeito aos idosos e o direito a prioridade não foi garantido, confirmando a denúncia do seu Ambrósio Muniz.

Houve relatos de que em vários locais de votação, não foram vistos Guardas Municipais e a boca de urna se tornou “normal”, já que não havia quem fiscalizasse, como foi o caso da escola Pedro Américo da Silva, no bairro do Jacaré, onde alguns fiscais eram parentes de primeiro grau dos candidatos e eles mesmos faziam boca de urna”, revelou GLeydisson Araújo, que havia ido votar no local.

Na escola Imaculada Conceição, houve registro de tumulto e muitos eleitores tiveram que ficar no sol enquanto esperavam para votar.

O relato mais grave veio pelas redes sociais. Várias pessoas denunciaram que a própria secretária de Ação Social e pessoas ligadas a pasta, estavam distribuindo panfletos com nomes de candidatos de interesse do prefeito.

O Soltando O Verbo ouviu alguns candidatos que revelaram ja possuir fotos de outros candidatos fazendo boca de urna. “Caso os candidatos que estavam agindo com desonestidade sejam eleitos, iremos pedir a impugnação de suas candidaturas”, disse um dos concorrentes.

Passava das 18h e a escola Imaculada Conceição permanecia lotada. Observou-se um  princípio de tumulto devido a grande aglomeração de pessoas e locais de votação insuficientes para a quantidade de eleitores.
O corredor principal da escola ficou escuro devido a queima de lâmpadas e uma das salas ficou completamente nas escuras obrigando o eleitor  a votar sem iluminação.

O Soltando O Verbo entrou em contato com Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) para saber o motivo da desorganização e sobre as denúncias de boca de urna , mas até o fechamento desta matéria não havíamos tido retorno.

Do Soltando O Verbo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *