Vereador de Cabedelo denuncia conspiração para cassar seu mandato

O vereador José Eudes ( PTB), divulgou uma Carta Aberta à população de Cabedelo, na qual acusa a Mesa Diretora da Câmara Municipal da cidade de articular uma conspiração para cassar seu mandato.

O parlamentar que já está na sua segunda legislatura, denuncia que a Mesa Diretora, que atualmente  é composta pelos vereadores suplentes Graça Rezende – PMDB (atualmente titular, com a saída de Vitor Hugo para a prefeitura), Pereira (PRP), Divino (PT) , Benone (PRP) e Valdi Tartaruga (PRP), irá se reunir nesta segunda-feira (16), para através de um processo, segundo ele, totalmente irregular, cassar seu mandato.

Eudes alega ainda que os vereadores Socorro de Jacaré (PRP), Evilásio (PMDB), Benone e Jonas (PSDB) entraram com ação na justiça pedindo também a cassação do seu mandato. “A única motivação para  quererem minha cassação é por causa da minha constante fiscalização da gestão do executivo e do legislativo. Sempre fiscalizei e, mesmo licenciado por conta do agravamento de minha doença do coração, continuo fiscalizando diuturnamente a gestão da Prefeitura e da Câmara. Isso incomoda muita gente”, argumentou o vereador, que ssm citar nomes, ainda denuncia já ter recebido ameaça de morte e propostas espúrias para comprar seu silêncio.

José Eudes informou que encaminhou recentemente  à justiça,  denúncia de que a atual Mesa da Câmara foi composta apenas por suplentes e não por vereadores titulares, o que segundo ele, é ilegal.

ENTENDA O  CASO:

No mês de abril, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Cabedelo recebeu onze pedidos de cassação contra vereadores da cidade.

As representações foram  lidas e acatadas por ampla maioria plenária na sessão ordinária do dia 23 de abril, e deveriam serem encaminadas à Comissão de Ética da Casa, porém, de acordo com Eudes, não existe tal Comissão.

Os pedidos de perda de mandato por quebra de decoro se dão contra  os parlamentares Tércio Figueiredo Dornelas, Rosivaldo Alves Barbosa, Antônio Bezerra do Vale Filho, Jacqueline Monteiro França (ex-primeira-dama), Belmiro Mamede da Silva Neto, Rosildo Pereira de Araújo Júnior, Josué Pessoa de Góes, Antônio Moacir Dantas Cavalcanti, Lúcio José do Nascimento, Franciso Rogério Santiago, envolvidos na Operação Xeque-Mate, e contra o vereador José Eudes de Souza, segunfo a denúncia enviada à Mesa Diretora, pelo número de faltas registraras no ano de 2017, acima do limite permitido pelo Regimento Interno do parlamento cabedelense.

O vereador Eudes se defende:

Eudes se defende e faz grave denúncia. Segundo ele, a “Mesa lhe negou as perícias das atas, as quais, foram todas falsificadas”.

O parlamentar  acusa a Mesa de está “armando” para cassar seu mandato. “O processo iniciou para fazer pelo Conselho de Ética, como não tem Conselho de Ética com número suficiente fizeram pela própria Mesa.
Foi tudo armado!” Desabafou.

E as acusações não param por aí. O vereador diz que houve Seção que pelas contas feitas tem até 16 vereadores, sendo que a cidade só tem 15 parlamentares. “Não existe faltas suficiente para cassação”, concluiu José Eudes.

Tentamos conversar com os vereadores Graça Rezende, Divino, Pereira e Benone, mas não foram encontrados.

Já os vereadores Jonas, Socorro de Jacaré e Evilásio, não responderam às perguntas da reportagem.

Do Soltando O Verbo

Veja na íntegra, a Carta divulgada pelo vereador.

Carta aberta ao povo de Cabedelo

Meus queridos e amados concidadãos cabedelenses, a Mesa Diretora da Câmara Municipal irá se reunir nesta segunda-feira, 16/09/2019, para, através de um processo totalmente
irregular, cassar o mandato que me foi outorgado pelo voto livre e consciente do meu povo.
Estão para cassar o mandato escolhido pelo povo porque sempre fiscalizei e, mesmo
licenciado por conta do agravamento de minha doença do coração, continuo fiscalizando diuturnamente a gestão da Prefeitura e da Câmara. Isso incomoda muita gente!!!

Esse trabalho árduo de fiscalização na defesa dos interesses de meu povo, levou-me a um estado grave de saúde, pois não bastassem as ameaças constantes para minha vida e
tentativas de compra de meu silêncio, vinda de todas as direções e interlocutores, meu corpo e mente foram levados ao extremo esforço e quase padeceu. O pior, para mim e aos que me apoiam, só não aconteceu porque Deus permitiu que eu estivesse aqui, lutando e
brigando pela minha vida e pelos meus irmãos cabedelenses após diversas cirurgias e
internações.

De forma covarde, meus algozes atentam contra o povo, espalhando mentiras e ódio. E todos eles sabem da fragilidade de minha saúde e por isso me atacam cada vez mais, talvez para, indiretamente, provocar a minha morte. Mas eu não me entrego!

Meu mandato só serve para o povo e a ele darei sempre meu melhor! Posso não estar nas
Sessões e no dia a dia em meu gabinete, mas meus inimigos sabem o quanto eu e meus aliados trabalham na busca da verdade para auxiliar os órgãos de controle e repressão ao
crime.

Não fraquejarei, pois não recebi dinheiro escuso durante as eleições de 2016 e após minha
posse como vereador em 2017, através de acordos políticos criminosos, tampouco indiquei
indevidamente assessores para ocuparem cargos na câmara e na Prefeitura como fantasmas em troca de favorecimentos pessoais. Não recebi dinheiro em envelope. Não compactuo com a malandragem nem com a mentira.

O tempo da verdade chegará!
Ver. José Eudes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *