Racha no PSB paraibano faz presidente da legenda em Cabedelo entregar o cargo

O mês mal teve início e a política paraibana já começou a ferver, e pelo andar da carruagem, tende a assim permanecer até entrar em ebulição com a aproximação das eleições do próximo ano.

Tal efervescência no PSB, fez o presidente do diretório do partido em Cabedelo, Sales Dantas (foto), entregar o cargo.

Tudo teve início (na verdade foi o estopim) na segunda-feira (9), quando a executiva nacional do PSB nomeou o ex-governador Ricardo Coutinho como presidente da comissão provisória e o governador João Azevedo como seu vice. João Azevedo alega que sequer foi consultado. “É uma decisão democrática demais essa! Colocaram meu nome sem sequer me consultar. E depois, caso eu não aceite, o presidente diz que é problema meu?”, desabafou Azevedo.

Em seguida surge a destituição do presidente estadual do partido, Edvaldo Rosas, sob a alegação de que ele não poderia ocupar cargo no atual governo e permanecer na presidência da legenda – Edvaldo Rosas assumiu recentemente uma secretaria no governo do estado.

Para completar, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, teria dado o “tiro de misericórdia” ao anunciar pela imprensa paraibana a AUTODISSOLUÇÃO do Diretório Estadual, segundo o governador João Azevedo, “pegando todos nós de surpresa”.

Esta sequência de fatos teria sido, em tese, o motivo para que o presidente do Diretório do PSB de Santa Rita, João Júnior; o de Bayeux, Jefferson Kita; e o de Cabedelo, Sales Dantas, entregassem seus cargos.

Os três encaminharam para a imprensa uma nota justificando a decisão. Segundo a nota, “medidas unilaterais sacrificam e comprometem o caráter democrático do grupo, levando a uma crise desnecessária”.

A nota inicia registrando “os episódios recentes da crise por que passa o PSB da Paraíba, processo doloroso pela forma ditatorial e anti-democrática com que foi conduzido e pela forma como Edvaldo Rosas foi destituído de uma presidência eleita democraticamente e que ainda tinha parte do mandato a cumprir, mas que foi abruptamente interrompido por motivações ainda obscuras ao nosso entendimento, contrariando, ainda, o desejo do governador João Azevêdo de mantê-lo no comando da sigla”.

O presidente da legenda em Cabedelo, Sales Dantas, já vinha se articulando para disputar a prefeitura de Cabedelo, projeto que agora deve ficar para trás, pelo menos no PSB.

O que diz o Vice-prefeito de Cabedelo Agnaldo Silva

A reportagem procurou o ex-presidente do PSB de Cabedelo e atual vice-prefeito Agnaldo Silva, indicado ao cargo por Ricardo Coutinho. De acordo com Agnaldo, a saída de Sales Dantas já era esperada, “pois ele nunca engoliu pacificamente a decisão da minha indicação (a vice-prefeito) e sequer participou da campanha em favor disso”.

Sobre a nova direção no município, Agnaldo informou que essa decisão caberá à nova comissão executiva estadual, mas que seu nome está à disposição. “Eu me acho credenciado uma vez que jà presidi a legenda em três momentos de crise do partido no município e esse é o momento para se fazer um trabalho pós crise”, argumentou.

Para o vice-prefeito, é possivel que mais membros venham sair da legenda no município.

“Eu particularmente defendo a união dos socialistas cabedelenses como também a reconciliação do ex-governador Ricardo Coutinho com o atual, João Azevedo, mas, entendo que João nao existiria sem Ricardo e por isso ele (João) deveria ser mais grato”.

Agnaldo ainda desabafou e disse “não adiantar ter um governador que não governa para as forças que o elegeu e dialoga melhor com a oposição do que com os seus aliados”.

Agnaldo ainda prometeu fazer uma grande revelação ainda esta semana com relação ao seu relacionamento com o prefeito Vitor Hugo. Vamos esperar.

A reportagem tentou entrar em contato com Sales Dantas, mas até o fechamento da matéria, às 18h, não havia tido retorno.

Do Soltando O Verbo/Wellington Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *