Imagem da internet

O ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Cabedelo, Lucas Santino (foto), chega ao final do mês cercado de problemas. Enquanto o ex-parlamentar ainda tentava digerir uma denúncia feita pela Comissão Parlamentar de Inquérito criada na Câmara Municipal de Cabedelo para apurar irregularidades praticadas por sua gestão no Poder Legislativo, surge outra bomba.

Desta vez foi a decisão do Tribunal de Contas da Paraíba, que em sessão realizada na última quarta-feira 24/05, reprovou  as contas de Lucas Santino na gestão referente ao exercício financeiro de 2014.

Vamos relembrar os fatos:

A Comissão Parlamentar de Inquérito criada na Câmara Municipal de Cabedelo criada para apurar irregularidades praticadas pela gestão anterior do Poder Legislativo, que tinha como presidente o então vereador Lucas Santino, ouviu empresas que prestaram serviços junto ao Parlamento Mirim e descobriu que um veículo de marca Audi do ex-vereador era bancado com dinheiro público.

De acordo com a CPI, a revelação foi feita pelo proprietário do Posto de Gasolina Dois Irmãos, Fábio Travassos de Moura, que tinha contrato com a Câmara Municipal. Em depoimento à CPI, ele disse que Lucas Santino abastecia seu veículo particular, um Audi, utilizando os talões de abastecimento destinado aos veículos da Câmara Municipal.

O que causou estranheza é que a Câmara de Cabedelo não tem nenhum veículo próprio, limitando-se a ter, na época, poucos veículos locados.

O empresário informou ainda que os carros não eram previamente cadastrados e os talões já vinham assinados pelo ex-presidente Lucas Santino e seu irmão Lueldo Santino e em alguns casos já vinham com as placas preenchidas nos talões.

Segundo o declarante, a orientação dada pelo então presidente da Casa e seu irmão era que qualquer veículo poderia ser abastecido, incluindo o Audi do político Lucas Santino.

Para os membros da Comissão, com a revelação, fica configurado mais um ato ilícito por parte do ex-presidente Lucas Santino, tipificado como improbidade administrativa, na modalidade enriquecimento ilícito, já que obtinha vantagens para si.

Contas reprovadas:

O Tribunal de Contas da Paraíba, em sessão realizada na última quarta-feira 24/05, reprovou  as contas da Câmara de Cabedelo, da gestão do ex-vereador Lucas Santino, referente ao exercício financeiro de 2014. A gestão do ex- vereador a frente do parlamento cabedelense é investigada por uma CPI aberta na Câmara.

A Corte impôs ao ex-presidente multa de R$ 76.597,41 por disponibilidade financeira não comprovada, na conformidade do que propôs o relator Antonio Gomes Vieira Filho. No entendimento do relator, chancelado pelo plenário do TCE, o ex-vereador Lucas Santino da Silva – PMDB, não recolheu as contribuições previdenciárias o que acarretou a desaprovação das contas de sua gestão de 2014 e foi multado. Cabem recursos a decisão do tribunal.

A sessão desta quarta-feira teve as participações dos conselheiros Fábio Nogueira, Nominando Diniz, Fernando Catão e Arthur Cunha Lima. Também, dos conselheiros substitutos Antonio Gomes Vieira Filho, Antonio Cláudio Silva Santos, Oscar Mamede e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público esteve representado pela procuradora geral Sheyla Barreto Braga de Queiroz.

A redação do Soltando O verbo procurou o ex-vereador através de e-mail e redes sociais, mas até o fechamento desta matéria não teve resposta, porém, disponibiliza espaço para Lucas Santino se pronunciar e dar sua versão sobre as denúncias. Redação: jornalismosv@hotmail.com.