A direção do PCdoB em Cabedelo, estará se reunindo nesta quarta-feira (04), com a deputada federal pelo Estado de Minas Gerias, a cabedelense Jô Moraes. A deputada, que também é membro da Comissão Política Nacional do partido, estará em Cabedelo para debater, dentre outros assuntos, os novos caminhos a serem traçados pelo PCdoB cabedelense.

De acordo com o presidente da legenda municipal, Ricardo Taboza, a vinda da deputada Jô Moraes à Cabedelo, irá enriquecer o debate sobre os rumos a serem tomados pelo PCdoB no pleito deste ano.

Sobre a deputada Jô Moraes

JÔ MORAES – Maria do Socorro Jô Moraes, Deputada Federal pelo Estado de Minas Gerais, membro da Comissão Política Nacional e Presidente Estadual do Partido Comunista do Brasil.

Iniciou sua militância política no movimento estudantil secundarista no seu Estado natal, na Paraíba. Foi presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de serviço social, diretora da União Estadual dos Estudantes, quando foi cassada pelo Decreto 477/69 que proibia as lideranças de continuarem seus estudos acadêmicos durante alguns anos.

No período da ditadura militar foi presa duas vezes. A primeira, foi no Congresso da União Nacional dos Estudantes-UNE, juntamente com 800 jovens que tentaram realizar o congresso na clandestinidade. A segunda, foi na portaria de uma fábrica têxtil, em 1969, no estado de Pernambuco, quando distribuía panfletos contra o Ato Institucional nº5, de 1968, que cerceava ainda mais a liberdade política no país. Apresentando nome falso ficou detida por uma semana e depois liberada por falta de provas. descoberta posteriormente a sua identidade foi condenada à revelia pela justiça militar tendo ficado, durante dez anos, vivendo na clandestinidade até a anistia.

Enquanto estudante, integrou-se à organização revolucionária Ação Popular, incorporando-se, em 1972, ao Partido Comunista do Brasil.Como militante comunista, atuou nos estados de São Paulo (membro da estrutura de organização e da equipe de propaganda), no Estado do Rio de Janeiro, como contato para a rearticulação do Partido e no Estado de Minas Gerais, como dirigente estadual, até sua eleição à presidência estadual. É membro do Comitê Central desde o ano de 1982.

Após a anistia, passa a atuar no movimento de mulheres. Coordenadora da Comissão Pró-Federação de Mulheres de Minas Gerais (1982), presidente fundadora do Movimento Popular da Mulher de Belo Horizonte (1983), Coordenadora Executiva do Conselho estadual da Mulher-organismo governamental (1984), primeira presidente da União Brasileira de Mulheres (1989). Autora de dois livros sobre a discriminação de gênero: ‘ Pelos Direitos e Pela Emancipação da Mulher’ e ‘Esta Imponderável Mulher’, membro fundador do Conselho editorial da Revista presença da Mulher e autora de artigos para revistas especializadas sobre o assunto. Autora também do livro para adolescentes ‘Uma história para Érica’, que relata fragmentos da luta durante o período da didatura militar.

Eleita para vereadora da cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, por duaz vezes (1996 e 2000), atuou na Comissão de Saúde e na Comissão de Direitos Humanos. Eleita para deputada à Assembléia Estadual de Minas Gerais em 2002, foi vice-líder do Bloco PT/PC do B e integrou a Comissão de Administração Pública, e foi presidente da comissão para assuntos do Mercosul.

O fruto do trabalho de Jô Moraes teve um extrato vitorioso nas eleições de 2006,onde pela primeira vez Jô disputava uma cadeira no congresso nacional, e foi consagrada nas urnas como a deputada federal mais votada de toda a esquerda mineira com 111.330 votos.

Na Camara Federal a deputada continua sua luta em defesa dos trabalhadores e da juventude. Jô integra as comissões de seguridade social e de minas e energia. Mulher de fibra e comprometida com os interesses nacionais, Jô já é uma referencia para a bancada mineira na casa.

Nascida em Cabedelo, cidade portuária no estado da Paraíba, região litorânea do nordeste do Brasil, em 9 de agosto de 1946,  Jô é mãe de dois filhos (Ana  e Luis).

Da Redação com foto do site da parlamentar